Seis vezes em que o macOS se inspirou em funções do Windows

O macOS sistema operacional da Apple para computadores foi lançado em 2001, portanto muito depois do Windows, cuja versão mais famosa já existia desde 1995. O antigo macOS X herdou diversas funções utilizadas em desktops da maçã nos anos 1980, mas também foi baseado em muitos recursos do software rival. Ao longo dos anos, houve diversas funções lançadas pela empresa de Steve Jobs que lembraram muito algo que já havia sido apresentado antes pela Microsoft. Veja, a seguir, seis vezes em que o Mac copiou, se inspirou ou simplesmente se atrasou em relação ao PC.

LEIA: Truques no teclado facilitam funções no Windows; aprenda

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto?

Como usar o WhatsApp no Windows e no Mac

1. Quando reformulou o visual do Finder

O visual do explorador de arquivos do Windows mudou muito ao longo dos anos, mas sempre teve o mesmo layout: uma barra lateral à esquerda e uma área maior à direita onde ficam localizadas as pastas e documentos do usuário. Depois da estreia em 1995, o recurso também passou a mostrar o caminho do diretório na parte de cima para facilitar a navegação.

Em Macs, o Finder ganhou o menu lateral visto hoje apenas no OS X 10.3 Panther, lançado em 2003. O visual é similar, com a presença de atalhos para o desktop, documentos pessoais e dispositivos conectados, como pendrives. No entanto, há algumas diferenças, como um acesso rápido aos aplicativos instalados. Mais tarde, em 2007, o OS X Leopard passou a mostrar o caminho do diretório no Finder, mas localizado na parte de baixo.

2. Quando juntou configurações no painel de preferências

O Painel de Controle existe desde o Windows 1.0 e foi aprimorado com novas funções até se tornar uma espécie de hub para funções externas no Windows 95. A partir daí, passou a agregar funções diversas, que iam desde desinstalar programas e acessar configurações de rede até personalizar a interface e editar usuários. Hoje, o painel ainda existe no Windows 10, mas perdeu protagonismo.

A Apple implementou algo similar apenas no OS X 10.0 Cheetah, lançado em 2001. A partir desta versão, o sistema operacional passou a concentrar os itens de configurações no menu hoje conhecido como “Preferências do Sistema”. O curioso é que, antes disso, o Mac tinha configurações espalhadas com o nome de “painéis de controle”, mas o nome foi trocado após a adoção de um visual inspirado no Windows.

3. Quando passou a mostrar clima, esportes e mais no Spotlight

A Cortana é a assistente virtual do Windows 10 que estreou e 2015 trazendo, entre outras funções, a exibição de informações de clima, esportes, notícias e vários outros conteúdos na tela de busca. Não é possível dizer que o Spotlight, que traria várias dessas mesmas vantagens, copiou a Microsoft nesse quesito. No entanto, a Apple saiu atrasada. Quando o OS X El Capitan foi anunciado no mesmo ano com o Spotlight reformulado, a Cortana já estava disponível há meses, pelo menos na versão em inglês.

4. Quando estreou função de backup

A Microsoft oferece função de backup e restauração no PC desde o Windows Vista, lançado em 2006. O recurso permaneceu o mesmo até o Windows 7 e foi reformulado apenas no Windows 10, versão em que ficou mais fácil de usar, mas sem perder o suporte ao formato anterior.

No Mac, a Apple liberou backup no OS X Leopard, de 2007. O recurso, no entanto, é historicamente mais confiável e com melhor usabilidade. No Time Machine (Máquina do Tempo, em inglês), o usuário pode fazer backups incrementais e restaurar diferentes versões por meio de um seletor de datas, como se estivesse voltando no tempo, daí o nome.

5. Quando permitiu alternar entre apps com um atalho de teclado

O Alt+Tab é um conhecido atalho de teclado do Windows que permite transitar rapidamente entre programas abertos. O comando existe há 20 anos, desde o Windows 3 de 1990. Já no Windows 10, a Microsoft adicionou uma evolução do recurso por meio de outro atalho: com Windows+Tab, o computador exibe uma vista geral de janelas abertas e permite tanto alternar entre apps quanto ver um histórico de atividades (Timeline) e criar áreas de trabalho extras.

O equivalente do Alt+Tab chegou ao Mac por meio do Command+Tab em 2003, no OS X 10.3 Panther. O recurso existe até hoje, mas com uma diferença para a versão do Windows: enquanto o PC mostra uma prévia de janelas abertas ao manter o Alt pressionado, o Mac mostra apenas os ícones ao segurar a mesma tecla. Já o Task View do macOS, acessado com um deslize para cima com três dedos no trackpad, lembra muito a Timeline do Windows, mas sem a linha do tempo.

6. Quando liberou função de dividir apps na mesma tela

Assim como a visualização de prévias, a possibilidade de organizar janelas de forma automática também chegou primeiro ao Windows. Desde o Windows 8, a Microsoft traz o que se chama de Snap, uma maneira de alocar uma janela de um lado e posicionar mais uma do outro com um clique. Trata-se de uma forma de dividir a tela sem ter que redimensionar tudo manualmente.

No macOS, algo parecido estreou na versão El Capitan, em 2015. O recurso Split View permite posicionar apps lado a lado na visualização de tela cheia. A usabilidade é um pouco diferente, mas o resultado final é parecido: sem precisar aumentar a janela com o cursor, o usuário pode trabalhar em dois programas simultaneamente aproveitando o maior espaço possível da tela.

Via LaptopMag, InfoWorld e PCMag

Qual é o melhor sistema operacional?