Twitch TV: funcionário acusado de má conduta sexual é demitido e banido

A Twitch TV baniu a conta de seu funcionário Hassan Bokhari na última terça-feira (1) após acusações de má conduta sexual contra ele. No começo de 2020, diversos streamers afirmaram que Hassan abusava de sua posição de diretor de parcerias estratégicas na plataforma para se aproximar de influenciadores menores de idade e convencê-los a ter atos sexuais com ele. Após as denúncias, a Twitch TV contratou uma empresa terceirizada para realizar uma investigação antes de tomar sua decisão.

Twitch: streamer é banida após pintar corpo ao vivo e critica plataforma

Ainda não se sabe se o banimento de Hassan na Twitch TV é permanente, visto que a empresa não fez uma declaração pública sobre o caso. Segunda o consultor de esportes eletrônicos Rod "Slasher" Breslau, Hassan também não é mais funcionário da Twitch TV, o que pode indicar que sua suspensão seja permanente. A plataforma não comentou o caso oficialmente nem divulgou o motivo da demissão.

Quer comprar jogos, consoles e PC's com descontos?

Entre os streamers que acusaram Hassan, está a canadense "Vio". No dia 25 de junho de 2020, ela afirmou em seu Twitter que ele insistiu para que ela fosse com ele a um evento chamado Pax East, em 2015. Embora Vio não tivesse interessada, Hassan usou de sua posição na plataforma para continuar persistindo e a pressionando. Segundo ela, a situação fez com que os dois viessem a ter relações sexuais eventualmente.

Esse não é o primeiro caso de banimento da Twitch TV por conta má conduta sexual em 2020. Diversos streamers também estão sendo investigados e punidos, como Hashinshin, que fazia transmissões de League of Legends (LoL), e o chileno Gonzalo "ZeRo" Barrios, ex-jogador profissional de Super Smash Bros. Ultimate que foi alvo de acusações de pedofilia.

Via Dot Esports